sexta-feira, 22 de junho de 2012

Parte 5 - O Plano de Saúde


Resumo das postagens anteriores:

_______________________________________________________________________

Minha mama começou a sangrar espontaneamente. - Parte 1
Os primeiros médicos não encontravam a causa do sangramento. O sangramento aumentou muito. Surgiu a suspeita de que eu teria um papiloma intraductal. - Parte 2
Algumas pessoas, na tentativa de ajudar, acabavam atrapalhando. - Parte 3
Mais 4 médicos não conseguiram diagnosticar o meu problema. - Parte 4
_______________________________________________________________________

OBS: Nesse post tem conta como o plano de saúde atrapalha a vida do paciente com burocracia e mostra o resultado do meu exame (no final).

Fui autorizar a minha citologia. Peguei a senha, esperei mais de meia hora e ouvi da atendente que esse exame não poderia ser autorizado na hora, e que ela teria que fazer um protocolo. Perguntei como funcionava. Ela me respondeu que me daria um papel e em três dias úteis o meu exame seria liberado. Ela também me pediu para ligar antes e procurar saber se o exame já estava liberado. Três dias úteis depois eu liguei, mas ninguém atendia ou estava ocupado. No dia seguinte também tentei algumas vezes e mais uma vez ninguém atendia ou estava ocupado. No outro dia, resolvi ir até lá para saber. Novamente peguei a senha, esperei quase uma hora, e a atendente me disse que ainda não estava pronto. Fiquei furiosa:

- O quê?
- Me disseram que seriam três dias úteis. Já faz cinco dias úteis e ainda não está pronto?
- É que às vezes demora mesmo.
- E eu vou ter q ficar vindo aqui e besta quantas vezes até conseguir?
- Tem o número para a senhora ligar.
- Mas esse número ninguém atende. Eu passo o dia todo ligando e ninguém atende.
- Anote os outros números.
Anotei os números e os nomes das pessoas com quem eu deveria falar e então passei a ligar todo dia o dia todo. Eu colocava o fone do meu celular, acionava a função “rediscar” e deixava lá rediscando o dia todo. Só parava na hora do almoço. Até que um dia eu resolvi tentar até na hora do almoço. Foi assim que eu consegui falar com a tal fulana. Ela nem sabia desse meu “protocolo”. Depois de achar, ela me explicou como funcionava (pra isso ela serviu). Ela me disse que o plano não cobria a clínica onde eu deveria fazer esse exame, então, o plano pagaria o exame para mim e depois eu iria até a clínica para fazer o exame. Ela me disse que depois de amanhã eu poderia ir até a clínica para fazer o exame.
Desconfiada, antes de ir fazer o exame, liguei para a clínica para saber se o plano de saúde já tinha pagado. A secretária da clínica disse que não. Então eu liguei furiosa para a mulher do plano de saúde, mas era difícil conseguir que alguém atendesse ao telefone. Tornei a ligar insistentemente, principalmente na hora do almoço. Alguns dias depois consegui falar com a tal fulana. Ela disse “Não pagaram ainda? Não acredito”. Falsa. Ele nem se preocupou em checar. E se eu não tivesse ligado antes? Teria ido e não conseguiria fazer o exame. Já que ela foi falsa comigo, resolvi jogar sujo com ela também e menti:

- Pois é Fulana, ainda não pagaram.
- Eu vou ver aqui o que aconteceu, mas hoje ainda eu ligo pra você.
- Ta certo, mas olha, por favor tenta agilizar isso. O meu caso é grave, eu estou com câncer e está saindo sangue pelo meu mamilo. Preciso muito resolver isso rápido.
- Não se preocupe. Hoje mesmo eu ligo pra você.

É claro que eu sabia que ela não ia ligar coisa nenhuma. E eu também não achava que o meu problema fosse câncer, porque câncer é facilmente detectado e eu já tinha feito duas ultrassonografias que não detectaram nenhuma anormalidade. Eu tinha certeza de que isso que eu tinha não era câncer nem sangue preso, eu achava mais provável que fosse mesmo um papiloma.

Como eu já tinha previsto, a Fulana do plano de saúde não ligou e no dia seguinte eu voltei a ligar insistentemente. Alguns dias depois eu consegui falar com ela. Ela me disse já tinha mandado pagar o exame, mas quando estava em contato com a clínica ela descobriu que o médico que faz o exame era credenciado ao plano. Então ela mudou de tática, e ao invés de pagar o meu exame, ela ia tentar dar um jeito de fazer esse exame pelo plano mesmo. Assim, eu tinha que esperar ela resolver essa burocracia nova. É claro que ela disse que me ligaria ainda nesse dia. E é claro que ela não ligou. Porém, incrivelmente ela me ligou no dia seguinte dizendo que tinha conseguido resolver tudo e que eu já poderia ir para a clínica para fazer o exame. Ela me disse que mandaria a autorização do meu exame para a clínica, via fax, e caso eu tivesse algum problema eu poderia falar com Cicrana na clínica.

Fui fazer o exame no mesmo dia. Chegando lá, entreguei a guia da solicitação do exame e os meus documentos. Pediram o papel da autorização do exame. Eu disse que a menina do meu plano tinha mandado para a clínica, mas eles disseram que não tinham recebido nada. Fiquei furiosa, mas o anjo que me atendeu deixou que eu fizesse o exame e levasse a autorização depois, quando fosse buscar o exame.


Passei o resto do dia ligando para Fulana com uma vontade de xingar até a décima geração da família dela, mas aprendi que quando a gente quer conseguir uma coisa é melhor fingir que é amigo e fazer drama. Porque se a gente brigar, aí é que a pessoa não faz mesmo o que a gente quer. Como não consegui falar com Fulana por telefone, fui pessoalmente buscar. A atendente foi procurar Fulana, que estava em horário de almoço, mas resolveu meu problema. Certamente Fulana percebeu que eu não a deixaria em paz enquanto ela não resolvesse isso. Por isso ela resolveu.

Lembra que a atendente me disse que eu só precisaria esperar três dias úteis? Na verdade foi um mês e meio de espera. Um total e completo absurdo. Uma instituição que deveria cuidar da minha saúde na verdade estava agravando o meu caso com toda essa demora.

RESULTADO:

Quando fui buscar o resultado da citologia, levei a autorização do exame. Peguei o exame sem mais problemas. O resultado foi inconclusivo e indicou duas possibilidades, uma era o papiloma, que é benigno e outra é o carcinoma, que é maligno, é um câncer. Apesar desse resultado, não me assustei, pois eu tinha certeza de que não era câncer. Esse exame só reforçou minha desconfiança de que eu tinha mesmo um papiloma.
Clique no botão g+1 abaixo para divulgar a página!

Próxima Postagem: Parte 6

Um comentário:

  1. Amigaaaaaa
    Quero te dizer que vc é uma mulher guerreira, e que esse blog é uma grande iniciativa pra ajudar e orientar pessoas com o mesmo problema.

    Bjsss

    ResponderExcluir