sexta-feira, 6 de julho de 2012

Parte 11 - Ressonância (Resultado)

Resumo das postagens anteriores:
_______________________________________________________________________
Minha mama começou a sangrar espontaneamente. - Parte 1
Os primeiros médicos não encontravam a causa do sangramento. O sangramento aumentou muito. Surgiu a suspeita de que eu teria um papiloma intraductal. - Parte 2
Algumas pessoas, na tentativa de ajudar, acabavam atrapalhando. - Parte 3
Mais 4 médicos não conseguiram diagnosticar o meu problema. - Parte 4
Veja o que os planos de saúde são capazes de fazer para atrapalhar o seu tratamento: Parte 5
O último médico decidiu fazer uma cirurgia mesmo sem conseguir diagnosticar o meu problema e eu resolvi procurar uma segunda opinião, conhecendo, então, a médica-anjo. - Parte 6
A médica-anjo me pediu outra ultrassonografia, mas o resultado foi que tudo estava normal. - Parte 7
Aconteceu a coisa mais importante e surpreendente de todo o meu tratamento: Parte 8
A médica-anjo pediu uma ressonância e outra citologia e me encaminhou para o 8º médico: Parte 9
Depois de muita luta consegui a autorização para a ressonância: Parte 10
_______________________________________________________________________
Em seguida, fui para a clínica, pois já estava perto da hora do meu exame e não daria tempo de fazer mais nada. Meu namorado foi comigo, pois eu estava com medo de me sentir mal por causa do contraste. Esperei um pouco, mas tudo correu muito bem. A médica que fez o exame era ótima. Ela me examinou antes e sentiu a região endurecida. Eu disse que nada tinha sido encontrado pela ultrassonografia. Ela disse que isso não era possível e pediu que eu fizesse uma ultrassonografia com ela. Marcamos para dois dias depois. Na verdade a minha mama estava bem mais endurecida do que entes, era quase a consistência de um osso. E o sangramento havia diminuído um pouco. Eu achava que o sangue não tinha parado de ser produzido, mas sim estava ficando retido dentro da minha mama, como se os me ductos mamários estivessem entupidos.

 Após isso, a médica me fez um questionário e me explicou como seria o exame. O exame foi desagradável, mas nem tanto como eu esperava. O ruim foi ter que ficar meia hora parada na mesma posição, o que me deixou com os braços dormentes. O contraste, injetado na veia, ardeu um pouco no início, mas depois passou. E assim, finalmente eu fiz a ressonância magnética das minhas mamas.
Eu estava ansiosa para saber o resultado da ressonância. Eu esperava que esse exame mostrasse o que havia de errado comigo. Eu achava que descobriríamos um papiloma intraductal, como o 2º médico havia me dito. Porém, ao receber o resultado, percebi que apesar de ter sido encontrada uma área estranha, nenhum nódulo foi encontrado, assim, o meu problema continuava sem diagnóstico e minha mama continuava sangrando, doendo e endurecida. E além de chorar todos os dias, eu estava chorando cada vez mais e estava ficando cada vez mais estressada. Este dia foi 08/02/2011 e já faziam 8 meses que minha mama sangrava.
Clique no botão g+1 abaixo para divulgar a página!

Próxima Postagem: Parte 12

Nenhum comentário:

Postar um comentário